Coopercuc

English content

Criada em 2004, a Coopercuc é formada por 271 cooperados, em sua maioria mulheres, que produzem deliciosos doces e geleias a base de frutas nativas do sertão.

Através da linha Gravetero, a cooperativa comercializa seus produtos nos mercados mais sofisticados do Brasil e exporta para Itália, França e Áustria.

Exportação

21/12/2017

Cooperativa do semiárido baiano expande produção com apoio do fundo agrícola da ONU


Usina da COOPERCUC consegue processar 500 kg de fruta por dia. Foto: FIDA/Juan Cortes Carrasbal

Há mais de uma década, mulheres do semiárido baiano decidiram liderar uma associação de cultivo de frutos silvestres, como o umbu, o maracujá e a goiaba. Hoje, a Cooperativa Agropecuária Familiar de Canudos, Uauá e Curaçá (COOPERCUC) vende anualmente 280 mil dólares em produtos comercializados mundo afora. Iniciativa recebeu apoio do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola das Nações Unidas (FIDA). Leia mais »

10/02/2015

Coopercuc participa da Biofach 2015, na Alemanha

Entre 11 e 14 de fevereiro de 2015, a Coopercuc e outros nove empreendimentos brasileiros participam da BioFach 2015, em Nuremberg, na Alemanha. A BioFach é a maior feira de produtos orgânicos do mundo.

A Coopercuc leva para o evento produtos da linha Gravetero, formada por doces e geleias orgânicas feitos com frutas nativas do Sertão, como o Umbu e o Maracujá da Caatinga.

Saiba mais:

29/04/2013

Pesquisas e beneficiamento dos frutos reforçam preservação dos umbuzeiros

Árvore é única no mundo e concorre com criação de animais no nordeste, segundo especialistas. Mas pesquisas e investimentos para aumentar exportação procuram salvar a planta típica do nordeste do país.

Batizado pelo escritor brasileiro Euclides da Cunha (1866 – 1909) como a “árvore sagrada do Sertão”, o umbuzeiro corre risco de extinção na sua terra natal, o semi-árido brasileiro (nordeste). Devido a esse alerta feito por especialistas, organizações locais e nacionais trabalham para estimular a preservação e a exportação do umbu, uma planta que só cresce na caatinga, uma paisagem exclusivamente brasileira.

Extrair o fruto dessa planta única no planeta significa uma forma de sobrevivência para muitas comunidades nordestinas. “É uma das únicas fontes de renda para mais de 200 famílias” no âmbito de uma cooperativa no Estado nordestino da Bahia, exemplifica Avay Miranda, gestor de projetos da Apex-Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos).

Para aumentar a produção de umbu e de outros itens agrícolas típicos da biodiversidade brasileira, a Cooperativa Agropecuária Familiar de Canudos, Uauá e Curaçá (Coopercuc) quer aumentar as exportações e incentivar negócios sustentáveis com esses produtos. Leia mais »

Conteúdo Relacionado: .Na mídia, .Notícias, Exportação

21/10/2012

Encontro estimula cooperativa a expandir mercado

Texto da Agência Sebrae de Notícias

Produção de doces com frutas regionais é a aposta da Coopercuc para fechar grandes negócios durante o evento, que irá reunir 31 países

Fazer novos contatos e expandir os negócios. Esses são os objetivos da Cooperativa Agropecuária Familiar da região de Uauá, Canudos e Curaçá (Coopercuc), que vai participar pela primeira vez do XVI Encontro Internacional de Negócios do Nordeste (Einne), entre os dias 23 e 25 de outubro, em Salvador. Este ano, a programação vai contar com a presença de importadores representantes de 31 países e 230 empresas dos nove estados da região.  Leia mais »

Conteúdo Relacionado: .Notícias, Exportação, Feiras e eventos

3/10/2012

Cooperativa familiar quer alavancar negócios com o EINNE

Texto da Agência Sebrae de Notícias

Produção de doces é a aposta da Coopercuc para fechar grandes negócios durante o encontro

Fazer novos contatos e expandir os negócios. Esses são os objetivos da Cooperativa Agropecuária Familiar da região de Uauá, Canudos e Curaçá (Coopercuc), que pela primeira vez vai participar do XVI Encontro Internacional de Negócios do Nordeste (EINNE). Faltando poucos dias para a realização do evento, que acontece de 23 a 35 de outubro, em Salvador, a expectativa da gerente comercial da cooperativa, Jussara Dantas, é conseguir novas parcerias e divulgar ainda mais a produção dos doces, compotas e geleias da Coopercuc. “A nossa perspectiva é conhecer novas empresas e nas rodadas fechar negócios na ordem de pelo menos R$ 100 mil reais”, afirmou.

Este ano o EINNE vai contar com a presença de importadores representantes de 31 países e 230 empresas dos nove estados do Nordeste. Para a Coopercuc é o momento ideal de aumentar o número de compradores dos seus produtos, feitos com frutas típicas da região, como manga, goiaba e umbu. A intenção é atrair os olhares de investidores de outros países e, para isso, a aposta é ganhar a confiança e fidelidade deles através do paladar. “Nossos produtos têm qualidade e são deliciosos. Queremos levar os sabores das frutas do sertão nordestino para outras partes do mundo”, disse Jussara. Atualmente, a produção da cooperativa gira em torno de 230 toneladas ano e parte dela é exportada para países como Alemanha, Áustria, França e Itália. Leia mais »

Conteúdo Relacionado: .Notícias, Exportação, Feiras e eventos

Próxima página »

Cadastre seu email e receba as novidades do nosso site:

Gilberto Gil: "O SERTÃO É COMO UMBU, DOCE QUANDO TEM QUE SER DOCE E AZEDO QUANDO TEM QUE SER AZEDO"

DoDesign-s Design & Marketing